Dia 16 de Outubro chega a tão aguardada Jornada Arouca Geopark de seu tema: "Arqueologia como contributo para o desenvolvimento".

O Território Arouca Geopark conta, até à data, cerca de 196 sítios arqueológicos referenciados na carta arqueológica do concelho de Arouca, embora apenas um tenha iniciado o seu processo de musealização. Esta ciência tem estado a passar um “mau bocado”, votada, a par do seu património, ao esquecimento. Num concelho em que o património natural está ao abrigo da UNESCO, é insustentável que o património histórico, arqueológico e cultural permaneçam apenas como “outros valores”, necessitando também eles de investimento, de estudo e de valorização. É preciso tomar medidas, angariar apoios e vozes que se preocupem com a herança dos nossos antepassados, herança essa que, uma vez destruída, jamais poderá ser recuperada. Cada sítio arqueológico tem particularidades únicas, o cunho de quem por lá passou.

Numa fase em que o turismo se mostra essencial para a economia arouquense e que se realizam grandes investimentos, nada mais oportuno de que relembrar a existência deste património, tirando um dia para o conhecer e compreender, debatendo o seu passado, o seu presente e o seu futuro.

Para esse fim, contamos consigo e com cinco especialistas nesta área, para que possamos perceber o que pode ser feito para a preservação do património, debater soluções e minimizar os impactos do tempo.

Programa Geral

  • Visita Interpretada "Valle Arouca"
    • Horário: 8:45h
    • Local: Museu Municipal de Arouca
    • Visita Interpretada
      • - Memorial de Santo António
        - Casal Romano da Malafaia
        - Torre dos Mouros
    • Chegada prevista ao Museu Municipal: 12:00h
  • Conferência
    • Horário: 14:00h-17:45h
    • Local: Biblioteca D. Domingos de Pinho Brandão (Mosteiro)

Programa da Conferência

  • Sessão de Abertura (14:00h)
    • - Associação Geoparque Arouca
      - Câmara Municipal de Arouca
      - ARQ 4 ALL

  • 1ª Sessão (14:30h)
    • 14:30h - Arqueologia em Arouca: O Passado, o Presente e o Futuro
    • Palestrante: António Silva | Centro de Arqueologia de Arouca
    • 15:00h - Arqueologia como Ciência e Máquina Turística
    • Palestrante: Marcos Osório | Universidade de Coimbra
    • 15:30h - Musealização: mostrar para quê?
    • Palestrante: Jorge Torres | Câmara Municipal de Sabugal
  • Coffee Break (16:00h)
  • 2ª Sessão (16:15h)
    • 16:15h - Património Arqueológico. Escavar, Restaurar e Valorizar: Como rentabilizar o investimento?
    • Palestrante: Pedro Sobral e Vera Caetano | EON, Industrias Criativas, Lda.
  • Mesa Redonda (16:45h)
    • Debate sobre a Arqueologia no Concelho de Arouca
    • - Associação Geoparque Arouca - António Carlos Duarte
      - Câmara Municipal de Arouca - Margarida Belém
      - Centro de Arqueologia de Arouca - António Silva
      - Universidade de Coimbra - Marcos Osório
      - ARQ4ALL – Luís Alexandre

Aviso: As inscrições são gratuitas, mas obrigatórias no caso da visita interpretada. Para efeitos de creditação (AVCOA) a inscrição na conferência também é obrigatória (exclusiva para professores).



Painél de Oradores

MARCOS OSÓRIO

Licenciado em História - variante de Arqueologia (1994) e Mestre em Arqueologia Romana (2000) pela Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, com a tese «O povoamento romano do Alto Côa», publicada pela Câmara Municipal da Guarda em 2006.

É arqueólogo da Câmara Municipal do Sabugal desde 1997, onde produziu a Carta Arqueológica Municipal, integrada no Sistema de Informação Geográfica Municipal, tendo já dirigido escavações arqueológicas de variadas cronologias em cerca de 16 sítios diferentes, com destaque para o acompanhamento arqueológico da reabilitação da Aldeia Histórica de Sortelha, sobre o qual versa o livro editado em 2012: «Sortelha: segredos por desvendar». Foi responsável pela conceção da exposição arqueológica do Museu do Sabugal e o respetivo catálogo.

Já apresentou cerca de 20 comunicações em encontros científicos e escreveu 40 artigos científicos, individual ou conjuntamente com outros investigadores, em áreas

que vão fundamentalmente desde a Proto-história à Época Medieval. Ultimamente desenvolve investigação focada nas tecnologias informáticas aplicadas na Arqueologia, com alguns artigos e comunicações sobre a temática, estando a lecionar a disciplina de SIG em Arqueologia, no Mestrado de Arqueologia e Território e a disciplina de Informática Aplicada à Arqueologia, no curso de Arqueologia e História da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, desde 2011, como Assistente Convidado a tempo parcial.


JORGE MORAIS TORRES

Licenciado em Antropologia pelo ISCSP, Universidade Técnica de Lisboa, Mestre em Museologia pela Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, e atualmente Doutorando em Museologia na Faculdade de Letras da Universidade do Porto.

De novembro de 2005 a março de 2015, foi contratado pela SABUGAL +, Empresa Municipal de Gestão de Espaços Culturais, Desportivos Turísticos e de Lazer, EM. Diretor Técnico com funções nas piscinas municipais (até 2006 - coordenação técnica), Museu do Sabugal, Rede de Informação Turística e eventos. Desde 1 de abril de 2015, é técnico Superior de Antropologia da Câmara Municipal do Sabugal.

Dentro da museologia, é elemento da equipa responsável pela montagem da exposição permanente do Museu do Sabugal, autor de textos para o folheto da exposição permanente da mesma instituição, e membro do Conselho de Redação da revista anual do Museu do Sabugal, Sabucale, de que foram publicados seis números desde 2009. É ainda responsável pela conceção e atualização da página do Museu do Sabugal na Internet.

Tem vindo a realizar algumas publicações dentro da área da museologia.

É também de sua autoria roteiros turísticos do concelho do Sabugal (2004 a 2012).


PEDRO MANUEL SOBRAL DE CARVALHO

Nascido em Viseu a 16 de Abril de 1963, licenciou-se em 1986 em História (variante de Arqueologia) pela faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, tendo realizado em 1995 as provas de Mestrado em Arqueologia, pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto com a dissertação: A Necrópole Megalítica da Senhora do Monte (Penedono). Um espaço sagrado da pré-história na Beira Alta.

Especialista em megalitismo, enveredou na área empresarial tendo aberto em 1995 a Arqueohoje, lda da qual saiu como sócio gerente em 2011, tendo encetado um novo projeto, a Eon, Indústrias Criativas onde tem dado especial destaque à gestão de projetos museográficos e à valorização de sítios e monumentos arqueológicos.

Autor de um conjunto de artigos científicos e de obras monográficas, tem apostado em suportes gráficos de divulgação do património.


VERA LÚCIA MOREIRA CAETANO

Nascida em Viseu em 1983, licenciou-se em 2009 em Conservação e Restauro pelo Instituto Politécnico de Tomar (I.P.T.), Departamento de Arte e Conservação e Restauro, tendo efetuado o seu estágio curricular através da Conservação e restauro da Capela da Senhora Sant’Ana – Casa de Vargos, Torres Novas.

A área de especialização é a conservação e restauro de materiais pétreos. Atualmente, está a desenvolver investigação na área dos pigmentos usados na arte pintada megalítica integrando alguns projetos de restauro e valorização de monumentos megalíticos, como a recente intervenção nas Mamoas do Taco, em Albergaria-a-Velha.


ANTÓNIO MANUEL S. P. SILVA

Arqueólogo, com formação nas Universidades do Porto e de Santiago de Compostela. Investigador do CITCEM (UP); Presidente do Centro de Arqueologia de Arouca. Técnico Superior na Administração Municipal e docente em várias instituições de ensino superior.

Tem desenvolvido investigação científica nas áreas da gestão arqueológica, arqueologia urbana, proto-história e romanização, cerâmica arqueológica e etnográfica, etc. com particular incidência na região do Entre Douro e Vouga e no concelho de Arouca, sobre o qual tem dezenas de trabalhos publicados com destaque para as obras Memórias da Terra: património arqueológico do concelho de Arouca (2004) e a coordenação de Cartas Arqueológicas: do inventário à salvaguarda e valorização do património (2005).